quarta-feira, 2 de março de 2016

Igrejas, uma mais linda que a outra


A Igreja de Santo Ildefonso está localizada na Praça da Batalha  freguesia de Santo Ildefonso, no centro da cidade do Porto, em Portugal.
A igreja foi reconstruída a partir de 1730, por se encontrar em ruínas a primeira igreja, e ficou concluída em 1739.



Nossa Senhora da Abadia é um santuário mariano do séc XVIII que impressiona pela imponente fachada, assim como pelo seu estado de conservação. O interior do templo setecentista, tem três naves, separadas por arcadas de volta inteira assentes em colunas toscanas.
Nas naves laterais podem-se admirar vários altares, todos muito bem decorados e preservados.
O altar principal deslumbra pela sua grandiosidade, assim como pela beleza da sua talha dourada e imagens. Perto deste altar localiza-se um órgão dos finais do século XVIII.


 
O Santuário de São Bento da Porta Aberta tem, segundo a tradição, origem numa ermida construída no local, por volta de 1640, cujas portas estavam sempre abertas, para servir de abrigo a quem passava. A construção do actual Santuário iniciou-se em 1880, e ficou concluída em 1895, caracteriza-se pelos painéis de azulejos da capela-mor, que retratam a vida de S. Bento, assim como pelo retábulo de talha dourada. 
 

 
Capela dos Pestanas 
A Capela neogótica do Divino Coração de Jesus, mais conhecida como Capela dos Pestanas é assim designada por se situar junto ao Palácio desta família e por ter sido encomendada pelo Engenheiro José Joaquim Pestana, à altura o proprietário do Palácio. Este Palácio situava-se no extremo sul da 
Praça da República na esquina entre a Rua do Almada e a Rua de Gonçalo Cristóvão onde se encontrava até há pouco tempo o Governo Civil do Porto. A Capela foi construída entre 1878 e 1890, ano em que abriu as portas ao culto.
 


Igreja Da Nossa Senhora da Conceição.
O templo que é conhecido popularmente como Igreja do Marquês, por se situar na Praça do Marquês de Pombal. Segundo um folheto lá disponível, reconhecem-se várias influências arquitetônicas no projeto original do monge beneditino Paul Bellot, alterado pelo arquiteto Rogério de Azevedo. A das basílicas romanas, na planta; do românico e do gótico na estrutura dos arcos; da arte moçárabe nas colunas e rendilhados interiores. Passo a citar: Na decoração interior o autor do projeto ter-se-ia inspirado na arte bizantina e árabe, pretendendo utilizar o tijolo (hoje substituído por mármore) e o mosaico policromado. Razões quer económicas, quer da Câmara Municipal do Porto, com os seus vários pareceres negativos, terão obrigado a abandonar esse tipo de decoração.
A igreja, com a sua esbelta torre a lembrar os templos góticos, foi construída entre 1938 e 1947.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Vários pedacinhos :)

 
 

 
Foz do Porto

 
Foz do Porto


 
Eléctrico São Bento

 
Quinta da Passagem, Mesão Frio " Douro"
 

 
Quinta da Passagem, Mesão Frio " Douro"



Santuário de Nossa Senhora de Fátima
 

 
Santuário de Nossa Senhora de Fátima

 
 Quinta dos Loridos, onde se encontra o maior jardim oriental da Europa,  Buddha Eden

 
Buddha Eden
 

 
Buddha Eden

 
Buddha Eden

 
 Quinta dos Loridos, onde se encontra o maior jardim oriental da Europa,  Buddha Eden

 
Igreja das Alma, baixa do Porto

 
Igreja das Almas

 
Igreja das Almas, Rua de Santa Catarina, Baixa do Porto
 

 
Passeio Alegre, Foz



Baixa do Porto
 

 
Parque Nacional da Peneda Gerês

 
 
Peneda do Gerês

 
Peneda do Gerês

 
Peneda do Gerês
 

 
Igreja Nossa senhora da Abadia

 
 
Nuno Guerreiro_ Caçador de sois
 
Pelo céu às cavalitas
Escondi nos teus caracóis
A estrela mais bonita, que eu já vi
Eu cresci com um encanto
De ser caçador de sóis
Eu já corri tanto, tanto para ti
Fui um príncipe encantado
Montado nos teus joelhos
Um eterno enamorado, a valer
Lancelot de algibeira
Mas segui os teus conselhos
Para voltar à tua beira
E ser o que eu quiser
Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassóis
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

 
 

segunda-feira, 9 de março de 2015

Pelas Ruas da Cidade

A palavra impossível
Deram-me o silêncio para eu guardar dentro de mim 
A vida que não se troca por palavras. 
Deram-mo para eu guardar dentro de mim 
As vozes que só em mim são verdadeiras. 
Deram-mo para eu guardar dentro de mim 
A impossível palavra da verdade. 

Deram-me o silêncio como uma palavra impossível, 
Nua e clara como o fulgor duma lâmina invencível, 
Para eu guardar dentro de mim, 
Para eu ignorar dentro de mim 
A única palavra sem disfarce - 
A Palavra que nunca se profere. 

Adolfo Casais Monteiro
 
 
 
Praça do Marquês

 
Rua Das Flores

 
Av. Dos Aliados

 
Foz do Douro

 
Passeio da Foz

 
Paredão do Leme

 
Paredão do Leme

 
Ribeira uma sardinha Feliz...

 
Praia do Leme, Foz

 
Praia da Foz

 
Hotel Teatro, na Baixa do Porto

 
Pastéis de cebola, brasileiro, degustado com vinho Português
 

 
Guimarães...

 
Meu castelinho Rua do Bom Jardim...

 
Igreja do Marquês

Amar!
Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-se ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca, Charneca em Flor (1930)